Paris como um parisiense

Por Natália Góes


Em outubro/2015 fiz uma viagem de trabalho a Paris que durou uma semana. Como já estive na cidade outras vezes, acabei menos focada nos pontos turísticos e mais focada no dia a dia dos parisienses - uma experiência ótima! :)

Museu do Louvre <3

Outono em Paris

Cheguei no domingo de manhã. Por sorte era o primeiro domingo do mês de outubro e vários museus estavam com entrada gratuita. Aproveitei para ir até o Museu D'Orsey, famoso por ser um dos mais lindos de lá, que eu ainda não conhecia. Pura verdade: este museu era uma estação de trem antigamente e é realmente muito bonito! Além das exposições permanentes, havia uma exposição nova chamada Splendeurs et misères. Images de la prostitution, 1850-1910 que estava super badalada, com uma fila enorme. O tema desta exposição é polêmico: prostituição. E o acervo era bastante rico, com um grande registro do período descrito no título em imagens, documentos e vídeos.

Museu D'Orsey por dentro: lindo!

Museu D'Orsey

Museu D'Orsey

Museu D'Orsey

Entrada da exposição Splendeurs et misères. Images de la prostitution, 1850-1910

Almoço tipicamente parisiense nos arredores do Meuseu D'Orsey: crepe!

Depois do D'Orsey, dei uma volta no entorno do Museu do Louvre e segui para a Torre Eiffel (desci na estação Trocadero do Metro). Não tem jeito, ela é mesmo meu local preferido em Paris e não tem como eu ir até lá e não ir visitá-la. :)

Torre Eiffel vista a partir de Trocadero

Museu do Louvre

Quer saber como adquirir com antecedencia ingressos para a Torre Eiffel e evitar filas? Entre aqui!

Estava acontecendo um show super divertido com artistas de rua na praça de Trocadero com direito a um casal de noivos recém casados participando e entrando na brincadeira. Também tinha um outro casal de noivos por lá tirando fotos com a Torre Eiffel ao fundo. Tão lindo

Noivos na Torre Eiffel

Mais uma noiva na Torre Eiffel

Desta vez fiquei hospedada num hotel em Madeleine, Hotel Cordelia. A localização é excelente! Fui ao D'Orsey e ao Louvre a pé. E fica muito perto das Gallerias Laffayette e da Ópera. O hotel também é ótimo, apesar de ter quartos pequenos, como é padrão em Paris. Mas é tudo super limpo, novo e organizado. Parte do staff falava português e todos eram sempre muito solícitos. O café da manhã também era uma delícia: sempre com sucos, frios, ovos, iogurtes, croissant, crepes, leite e cafés variados.

Café-da-manhã do Hotel Cordelia

Detalhe de parte do que é oferecido no café-da-manhã do hotel

Meu trajeto a pé desde o hotel até os museus do Louvre e D'Orsey

Ópera de Paris

Durante a semana estava a trabalho; então pude observar alguns hábitos que não tinha reparado ainda nas minhas idas à Paris de férias:

  • Os franceses fumam muito! Em especial quando cai a noite e os bares e cafés ficam cheios para o happy hour.
  • O almoço, em geral, é no próprio escritório. Ao contrário de nós no Brasil que costumamos almoçar em restaurantes durante um dia de trabalho, os franceses têm o hábito de comprar a refeição e levá-la ao escritório para comê-la por lá. 
  • Ainda sobre o almoço, uma dica: todos os dias que estive lá comprei minha comida em algum dos restaurantes da Passage Choiseul, que oferece opções de diferentes culinárias e preços bem interessantes (eu paguei menos de 10 euros em comida + bebida todos os dias). E a região em torno da Passage de Choiseul é super famosa pela culinária oriental e tem vários bons restaurantes do ramo.
  • Os parisienses são bastante boêmios: todos os dias os cafés próximos ao meu trabalho estavam lotados após as 18h. O clima estava um pouco frio (uns 10-15 graus) mas isso não era impedimento algum para uma cerveja ou mesmo um vinho após o trabalho. Neste quesito outra dica: em geral existem boas promoções para o happy hour, com cervejas e drinks a preços mais baixos ou em dose dupla.

Passage Choiseul

O meu preferido para almoço na Passage Choiseul

Happy Hour em Paris no Bistrot d'Edmond

Conheci o Bistrot d'Edmond onde fui algumas vezes para jantar e outras para o happy hour. Para jantar indico o steak com batata fritas que estava delicioso ;)

Steak com fritas no Bistrot d'Edmond

Também jantei em um restaurante/hamburgueria chamado Moutarde Street que é muito bom também. Os hambúrgueres estavam deliciosos e o ambiente era bem legal, tipo de barzinho.

Um dos hamburgueres do Moutarde Street

No final da minha semana em Paris estiquei minha viagem até a Suíça para visitar um casal de amigos (as dicas da Suiça estão aqui). Quando retornei no domingo à noite optei por ficar hospedada no próprio aeroporto Charles de Gaulles, porque meu vôo para o Brasil seria na segunda pela manhã e eu não queria carregar mala para longe já que não teria tempo de aproveitar a cidade.

O hotel eleito por mim foi o Ibis Charles de Gaulles, bem pertinho (quase dentro) do terminal 3 do aeroporto. Meus pousos e decolagens foram todos no terminal 2, mas existe um metro interno e gratuito no aeroporto Charles de Gaulles para te levar de um terminal a outro. Foi excelente a minha escolha! O Ibis é daquele jeito que já conhecemos: quartos pequenos, porém confortáveis na medida: com cama macia e chuveiro quente. Existem opções para refeição no lobby do hotel também, então não precisa se preocupar em ir muito longe para comer. E a vantagem de estar tão perto é que não tem como perder a hora do vôo. ;) E embora o hotel seja próximo ao aeroporto, é bastante silencioso.

O metro de Paris é super funcional e existe um aplicativo chamado Paris Metro que ajuda a traçar a melhor rota de integração entre um ponto e outro. Eu super indico ;)

Mapa do metro de Paris para quem quiser se deslocar mais pela cidade

Paris Metro: app excelente para quem quer traçar rotas de metro em Paris

E assim terminou a minha viagem! Aqui você encontra mais 10 dicas essenciais para sua viagem a Paris. Não deixe de conferir! ;)

Até a próxima, pessoal.

Natália


Comentários

Postagens mais visitadas