Foz do Iguaçu - roteiro de 4 dias

Por Natália Góes


Olá, pessoal!

Este ano decidi que o presente de Dia das Mães da minha mãe (comemorado aqui no Brasil sempre no 2º domingo de maio) seria uma viagem comigo para algum canto desse Brasilzão. Depois de uma pesquisa sobre alguns lugares, optei por levá-la a Foz do Iguaçu/PR durante o período de 6 a 10 de maio. Confesso que nunca tinha pensado em Foz como roteiro, mas fiquei muito curiosa ao ler em diversos blogs de viagem e sites frases como esta: "nós brasileiros devíamos nos orgulhar, valorizar e falar mais sobre Foz do Iguaçu, pois um lugar tão lindo quase não é comentado". Quis ver com meus próprios olhos toda esta beleza tão comentada, e aproveitar a proximidade com Argentina e Paraguai para fazer umas comprinhas. :)

Beijo molhado com sabor de cataratas pelo dia da mães :)
A Mari já tinha passado aqui no blog umas dicas sobre os passeios imperdíveis de lá (que você pode ler aqui) e sobre a questão do transporte para os pontos turísticos e até mesmo para os outros países que fazem fronteira. Sendo assim, aproveitando tudo que a Mari já tinha contado aqui no Profissão Turista, preparei meu roteiro, peguei minha mãe e caí na estrada.

Ficamos hospedadas no Falls Galli Hotel, um 4 estrelas localizado na  Avenida Costa e Silva, relativamente próximo ao JL Shopping.

Vamos então ao roteiro:


Dia 1: Parque Nacional do Iguazú - Argentina + Marco das Três Fronteiras + Puerto Iguazú (La Feirinha) + Duty Free de Puerto Iguazú

A previsão era de chuva para a semana que cheguei. Como no primeiro dia estava sol, aproveitei a dica do motorista que nos acompanhou durante toda a viagem e fui correndo conhecer as cataratas do lado argentino. Como ele me explicou, e pude comprovar depois, o lado argentino tem mais trilhas e caminhadas; então seria mais sacrificante se o passeio fosse feito com chuva. A chuva não apareceu no primeiro dia e aproveitamos para curtir o parque em tempo integral: de 9h até as 17h.

Gostei demais do lado argentino do parque; as trilhas são ótimas para apreciar as quedas e o lado brasileiro, e achei muito legal as partes da trilha que são pontes sobre o Rio Iguazú. Incluso no ingresso (que custou 115 pesos argentinos por pessoa) há um trenzinho ecológico que leva os turistas que não quiserem fazer uma caminhada tão longa até o inicio das trilhas para a Garganta Del Diablo (1.100 m) e para os circuitos inferior (1.600 m) e superior (650 m). Nós só não fizemos o circuito inferior; não daria tempo e estávamos cansadas. Mas amamos os 2 circuitos que fizemos!

Trenzinho que faz o transporte até o inicio da trilha para a Garganta del Diablo
Garganta del Diablo ao fundo. Observe a borboleta no braço da minha mãe: lá tem muitas dessas pelo caminho.
Arco-íris: prepare-se, pois você verá muitos tão lindos quanto este.
Desta vez, um arco-íris duplo durante a trilha do circuito superior

O Parque oferece ainda outros passeios que não estão inclusos no ingresso como Safari na Selva e na Cascata, e o passeio de barco Grande Aventura. Não fiz nenhum desses passeios extras.

Para o almoço haviam opções de lanchonetes. Escolhemos comer as típicas empanadas dos hermanos pagando 85 Pesos por 3 empanadas e 1 coca-cola. Nesta hora, muito cuidado com os quatis, que atacam todas as bolsas e mochilas atrás de comida (os vi roubando algumas empanadas dos mais distraídos...rs).

Quati "inspecionando" a minha mochila em busca de comida

Dica 1: Lembre-se que se você estiver hospedado em Foz do Iguaçu, precisará cruzar a fronteira e passar na aduana para chegar a este lado do parque. Logo, é necessário apresentar documentação válida na Argentina, inclusive para crianças. Verifique os documentos aceitos para evitar dor de cabeça durante o passeio.

Dica 2: Embora no interior do parque o Real seja aceito para compras e alimentação, o cambio não é muito amigável. Troquei dinheiro em uma casa de cambio em Foz e a cotação era 4 Pesos Argentinos para cada 1 Real, enquanto no parque esta cotação era 3 Pesos Argentinos para cada 1 Real.

Dica 3: Leve água mineral e vá com sapatos e roupas confortáveis. Você vai caminhar bastante e a água no  interior do parque é cara.

Dica 4: Na Garganta Del Diablo você vai se molhar um pouco, e esta água pode ser suficiente para estragar algum equipamento eletrônico ou molhar documentos e dinheiro. Proteja-os.

Dica 5: Se você quiser conhecer o parque inteiro com calma e fazer todas as trilhas, reserve 2 dias. Para ver tudo em um dia só ficará muito corrido e cansativo.

Saindo do Parque, fomos conhecer o Marco das Três Fronteiras, ainda pelo lado argentino. O monumento foi erguido nos 3 países; Argentina (em Puerto Iguazú), Brasil (Foz do Iguaçu) e Paraguai (Ciudad del Este); para marcar geograficamente a fronteira entre eles. O mais legal, em minha opinião, foi ver o encontro dos Rios Iguaçu e Paraná. Foi possível ver a diferença da cor das águas de cada um deles se misturando sutilmente.

Marco das 3 fronteiras, lado argentino


Dica 6: O motorista que estava comigo recomendou que somente visitássemos o monumento do lado argentino, por questões de segurança.

Seguimos para o centro de Puerto Iguazú, onde paramos próximos a uma feirinha (La Feirinha) cujo foco é vender produtos locais como azeitonas, azeites, cervejas (morri de felicidade quando achei a Patagônia), vinhos, doce de leite, entre outras iguarias dos hermanos. Ali mesmo minha mãe já começou o estoque de doce de leite para a lembrancinhas para a família...hehe

A ultima parada do passeio foi o Duty Free de Puerto Iguazú. Ele é grande, parece um shopping, todo dividido em setores. Não achei os preços tão atrativos assim; mas haviam algumas promoções de bebidas que valiam encarar a fila que se formou no início da noite. Depois descobri que muitos hotéis (inclusive o meu) ofereciam transporte gratuito ao Duty Free entre 17:30 e 19h. Talvez por isso e tenha encontrado uma fila tão grande. Sendo assim, temos aqui a dica 7: evitem o duty free neste horário. Outra coisa importante a se considerar a respeito do Duty Free é que ele não vende produtos locais, ou seja, produtos da Argentina. Para comprar produtos da Argentina como alfajor, vinhos e doce de leite, visite o comércio de Puerto Iguazú.

Sobre os restaurantes onde jantamos, vou falar em detalhes no final deste relato.



Nosso dia começou as 9h, quando deixamos nosso hotel rumo ao Parque das Aves, que fica bem pertinho do Parque Nacional do Iguaçu. Resolvemos começar por ele, pois queríamos muito fazer o Macuco Safari, e sabíamos que neste passeio a gente se molha de verdade! 

Chegando ao Parque das Aves o acesso é muito tranquilo. O ingresso custou R$ 20,00, porém estudantes e idosos pagam meia entrada. O trajeto no interior do parque dura de 1 a 2 horas, em média. Além de aves, há alguns répteis no parque. O que mais achei interessante foi a proposta deles: todos os animais ali presentes foram entregues pelas autoridades ambientais resgatados de tráfico/contrabando de animais ou criação clandestina; e sempre em estado muito ruim, o que significa que sem cuidados adequados, eles não conseguiriam sobreviver, ou mesmo serem reintegrados a seus habitats naturais.

Flamingos no Parque das Aves
No interior do parque há 3 viveiros onde temos contatos com as aves e é uma experiência muito legal. O ultimo, onde ficam as araras, na minha opinião foi o mais interessante. Elas brincam com as pessoas, voam perto e fazem graça. As vezes parecem posar para as fotos. Ao final do passeio é possível segurar uma arara no braço para tirar fotos, e há uma lojinha onde é possível comprar souvenirs do parque e de Foz Do Iguaçu (pra quem gosta dessas coisas, foi onde encontrei mais variedades e melhor relação custo/benefício).

Arara-Azul fazendo pose para as fotos

Nos viveiros podemos chegar bem perto das aves; os tucanos são super receptivos


Ao final do passeio podemos tirar fotos com as araras. Ela é tão pesada que eu mal consegui levantar meu para a foto

Terminado o passeio do Parque das Aves, seguimos para o Parque Nacional do Iguaçu para conhecer o nosso lado das cataratas. O roteiro era simples: passear no Parque para ver as quedas e terminar o passeio fazendo o Macuco Safari.

Ao entrar no Parque, pegamos um ônibus que nos leva ao inicio da caminhada para observação das quedas. Mais uma vez ficamos impressionadas com tanta beleza. Ao final da trilha há um caminho especial para apreciar a Garganta do Diabo; Prepare-se para se molhar bastante nesta parte (tem um vídeo logo aqui embaixo mostrando esta parte). Voltamos então para a estrada principal do parque, onde pegaríamos o ônibus para nos deixar no local do esperado Macuco Safari. Antes fizemos uma pausa para ver a estátua de Santos Dumont que há no parque; na hora não entendi bem o sentido desta estátua ali, mas depois descobri que foi ele o grande incentivador para que toda esta área virasse um parque e fosse conservada. Após sobrevoar a área Santos Dumont achou um absurdo toda ela ser propriedade privada e estar sendo desmatada. Viva mais uma vez ao Santos Dumont, que além de Pai da Aviação, também é o responsável por um dos maiores patrimônios naturais do Brasil estar conservado e podendo ser admirado por todos nós.

Um pouco do lado brasileiro das cataratas visto de baixo

Vista de cima


Vídeo feito na Garganta do Diabo:


Chegando ao Macuco Safari foi só alegria. Até a chegada ao barco o trajeto é feito por um jipe. Deixamos todos os nossos pertences num armário, porque neste passeio nada escapa da água. 

O passeio dura cerca de 40 minutos e é divertidíssimo! O ponto alto é a ducha que tomamos embaixo de uma das quedas. Experiência única e inesquecível. Passeio super recomendado!

Chegada ao local onde é realizado o Macuco Safari

Início do passeio

Ali na frente estava o banho que nos esperava

Dia 3: Ida ao Paraguai (Ciudad del Este) para compras

Confesso que não sabia muito bem o que esperar neste dia. Ouvi varias opiniões controversas sobre Ciudad del Este e quis conferir com meus próprios olhos como a coisa funciona por lá. Eu não fui para comprar nada... Mas acabei saindo de lá com perfumes, cosméticos, eletrônicos, chocolates e até uma mala! Rs

Quando cruzamos a Ponte da Amizade já percebemos que a coisa por lá é meio tumultuada; muita gente pelas ruas, transito caótico e pessoas vendendo de tudo e de toda forma. Fomos de carro com o taxista que nos acompanhou todos os dias, e já estava acostumado com o ritmo de lá. Ele que me indicou a maior parte das lojas que comprei e visitei.
Passando pela Ponte da Amizade

Achei excelente para comprar cosméticos, chocolates, perfumes, temperos e produtos de culinária em geral. Quando digo "excelente" quero dizer: preços bem parecidos com os que encontramos em qualquer free shop, porém com MUITO mais variedade. Mas tem que lembrar que há muita falsificação no Paraguai, então é melhor comprar determinadas coisas em lojas que já tem tradição. Pirei em uma loja de departamentos chamada Monalisa! Para perfumes, por indicação do meu guia, fui na VIP (Shopping Americana e Shopping Del Este) e gostei dos preços.

Prédio da loja de departamentos Monalisa e transito meio caótico de Ciudad del Este

Shopping Del Este - com várias lojas de coisas importadas com bastante variedade

Dica 8: evite ir aos sábados; de acordo com o pessoal de lá, é o dia que fica mais cheio.

Dica 9: o melhor é ir com dinheiro na mão (Dólar é a melhor escolha, embora muitos lugares exponham seus preços em Reais. Comprar no cartão é roubada porque eles fazem uma conversão duvidosa para o Guarani (moeda paraguaia) e ainda costumam cobrar taxas extras que podem chegar a 10% - ou seja, somada às taxas que já pagamos no Brasil, os produtos ficam muito mais caros).

Dica 10: existem regras e cotas para as compras que forem feitas no Paraguai; lembre-se que você estará em outro país e passará pela aduana brasileira na volta. Para saber mais, veja este link aqui.



Este era também o dia da despedida de Foz de Iguaçu. Como nosso vôo era no final da tarde, conseguimos aproveitar quase o dia inteiro.

A primeira parada foi Itaipu Binacional. Fizemos o passeio Visita Panorâmica, que tem duração aproximada de 1h30m, e é feito em ônibus próprio da usina. As saídas são feitas com horário marcado, e a compra do ingresso deve ser feita até 5 min antes da saída (pode ser comprado pela internet no site da usina). Antes do passeio é exibido um documentário sobre Itaipu. Durante o percurso do ônibus há 2 paradas em mirantes para observação da barragem e vertedouro. Além deste passeio, há outros mais completos e alguns com uma proposta diferente, que eu acabei não fazendo por não ter tempo. Quem se interessar, pode ver outros passeios oferecidos pela Itaipu Binacional aqui. Almoçamos no restaurante de lá e partimos para a próxima parada: o Templo Budista.

Primeira parada do passeio que fizemos no interior da usina

Confesso que me surpreendi positivamente com o Templo Budista. Não estava esperando nada demais, e encontrei um lugar lindo, que transmite uma paz enorme, e proporciona uma vista ótima para parte de Foz do Iguaçu, para a Ponte da Amizade e para Ciudad del Este, no Paraguai. A entrada no Templo é gratuita e a visitação pode ser feita de Terça à Domingo, de 9h30 às 17h. Eu super recomendo a visita! Há mais de 100 estátuas de Buda no local, com diferentes significados. As estátuas externas foram confeccionadas no próprio local e as do interior do templo vieram da China. O Buda gigante, com aproximadamente 7 metros de altura, representa a doutrina budista.

Buda gigante

Um pouco mais do templo budista

Templo e Buda reclinado

Vista a partir do templo: à esquerda a Ponte da Amizade; à direita, Ciudad del Este, Paraguai

Depois de conhecer e me encantar com o Templo Budista, seguimos para a Mesquita, a qual foi construída pela comunidade islâmica de Foz do Iguaçu e inaugurada em 1983. O horário de funcionamento é de segunda a sexta, das 9h às 11h30 e das 14h às 17h30 e aos sábados, das 9h às 11h30. Como era sábado a tarde, infelizmente não consegui visitá-la, apenas fiquei admirando ela por fora.


> Onde jantar em Foz do Iguaçu?

Lá no inicio eu prometi que falaria sobre os restaurantes de Foz. Vou listar aqui minhas (felizes) escolhas:

Noite 1: La Mafia

Foi o eleito na minha primeira noite em Foz. Trata-se de uma cantina italiana, porém o restaurante tem vários ambientes temáticos. A decoração é um capítulo a parte. A carta de vinhos é generosa, e os pratos são bem servidos; o atendimento é excelente! Também achei o preço bem justo. O restaurante oferece transporte hotel-restaurante-hotel mediante agendamento.




Mesa de vinhos na entrada do restaurante

Um dos ambientes do restaurante

Ambiente mais reservado do restaurante, para um grupo maior de pessoas


Noite 2: Vó Bertila

Outra cantina italiana. Simples, aconchegante e com preços ótimos. A fama da casa vem das pizzas. Porém nós optamos por um caldo e não nos arrependemos. Ainda vinha acompanhado de um pãozinho caseiro fresquinho. De dar água na boca!

Decoração das mesas

Nossa escolha: o caldo que estava bom demais

Noite 3: Chef Lopes

Na minha opinião, foi o melhor restaurante que visitei em Foz. Já tinha ouvido falar muito bem dele e após provar o carro-chefe Chorizo com Chimichurri eu entendi que a fama tinha mesmo fundamento: é delicioso! O ambiente é mais requintado e o local é bem bonito. Os preços são mais altos que os demais restaurantes que fui. A qualidade valeu cada centavo.

Chorizo com chimichurri

Noite 4: Madero

Trata-se de uma rede de restaurantes bastante premiada nos estados de Goiás, São Paulo, Paraná e Santa Catarina. O de Foz fica no JL Shopping. Eles tem como slogan a frase "the best burguer in the world", e é claro que eu não deixaria de provar o Cheeseburguer Madero, já premiado algumas vezes. A porção é generosa, e realmente é bem gostoso.

Cheeseburguer Madero

E assim se encerrou minha viagem a Foz! Voltei pra casa com a mala cheia de orgulho por saber que no Brasil existe um lugar tão lindo; com algumas coisinhas compradas no Paraguai; e com belas recordações desta viagem maravilhosa!

Até a próxima, pessoal!

Nat

Comentários

  1. Nossa, muito legal e completo esse seu roteiro! E o melhor é que eu já estava pensando em visitar Foz em janeiro, então esse seu post caiu como uma luva! Já até salvei nos meus faviritos para referências futuras! Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal, Carla!!! Fico feliz demais! Foz é mesmo lindo, vale a visita e o orgulho de todos nós brasileiros. Se precisar futuramente de alguma dica específica, me avise ;)
      Beijos

      Excluir
  2. Ola!!!
    Gostei muito da sua postagem e me emocionou pois irei no final de fevereiro/15 com a minha filha de 18 anos para comemorar a entrada dela na faculdade e a entrada na fase adulta rsrs.
    você tem o telefone do profissional do taxi que fez os passeios com vc e sua mãe? Eu estive em Foz em setembro/14 mas como fui com o meu marido fissemos a maioria dos passeio de ônibus e ficamos mais tempo.
    Desde já te agradeço, um forte abraço para vc e sua mãe!!!!

    ResponderExcluir
  3. Ola!!!
    Gostei muito da sua postagem e me emocionou pois irei no final de fevereiro/15 com a minha filha de 18 anos para comemorar a entrada dela na faculdade e a entrada na fase adulta rsrs.
    você tem o telefone do profissional do taxi que fez os passeios com vc e sua mãe? Eu estive em Foz em setembro/14 mas como fui com o meu marido fissemos a maioria dos passeio de ônibus e ficamos mais tempo.
    Desde já te agradeço, um forte abraço para vc e sua mãe!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Rosi!! Tenho o contato sim. Anote aí: Sr. Itamar - (45) 9122-3365; Ele é um senhor super prestativo e atencioso; nos ajudou com tudo desde a chegada em Foz até o ultimo minuto por lá.
      Fico muito feliz de ter emocionado a vc com meu relato. Foi uma viagem inesquecível que fiz com minha mãe, e espero que você tenha a mesma sensação com filha em fevereiro. Prepare a camera para registrar todos os momentos, e volte depois aqui no blog para contar como foi.
      Beijos,
      Natália

      Excluir
  4. Oi Natalia, estive essa semana em Foz e o meu roteiro foi baseado em torno de 70% do que escreveu no blog. Suas dicas foram muito boas e em consequência facilitaram minha minha programação. A lamentar a greve de algumas categorias aos passeios na usina a partir do meio desta semana. Sorte que na última terça fiz o passeio de katamaram pelo lago da usina e foi possível ter uma idéia da enorme estrutura do local. Dos restaurantes somente não fui no Chef Lopes. Obrigado e contiarei lendo o blog. Victor Bitencourt (victorbp_rj@yahoo.com.br)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Victor! Muito obrigada pela sua mensagem. Ficamos sempre super felizes quando aparecem os comentários dos leitores por aqui. É um grande prazer poder ajudar com nossas dicas. Quando voltar a Foz quero muito fazer este passeio do katamaran. Dizem que é lindo!! Volte sempre por aqui. :)

      Excluir
  5. Oi! Boa noite!
    Gostaria de saber sobre esse taxista que acompanhou vocês! Ele cobrou quanto por dia? Como encontraram o contato dele? Obrigada'
    deisevazquez@gmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Deise. Confesso que já não me lembro o valor...mas como fazem alguns anos, sempre é melhor pedir um orçamento atualizado. Consegui o contato dele por indicação de uma colega de trabalho, que tinha feito passeios com ele quando foi a Foz do Iguaçu com a família.

      Excluir
    2. Tá bom!! Obrigada, Natalia! :))

      Excluir
  6. Vinícius Ribeiro Rodrigues12 de junho de 2016 12:21

    Muito bom esse roteiro! Perfeito!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Vinícius. Volte sempre ao blog =)

      Excluir
  7. Oi Natália,
    Um ótimo roteiro, gostei muito de todas as dicas que você deu durante o seu relato. São itens muito interessantes e que às vezes acaba passando despercebido, a cidade é surpreendente e é impossível não gostar. Como dica sobre o que fazer em Foz do Iguaçu, o site Local Planet http://www.localplanet.com.br/foz-do-iguacu/ de moradores da cidade traz outras opções de atividades para realizar durante a estádia, como uma visita ao Polo Astronômico e a Refugio Biológico. Vale a pena cada minuto.

    ResponderExcluir
  8. Oi Natalia, o telefone do Sr Itamar mudou . Vc teria o atual ?

    ResponderExcluir
  9. Infelizmente não tenho o numero novo dele :/

    ResponderExcluir
  10. Oi Sou de Foz do Iguaçu, e gostei bastante de seu blog, é muito legal ter
    pessoas como você que ajudam viajantes a montar roteiro, Parabéns!!!

    Ficou muito feliz que tenha gostado da tríplice fronteira!
    sou professora e Guia, apaixonada pelo turismo!!!
    Tenho van para passeios

    peço licença para deixar meu contato,
    meu trabalho consiste em passeios pelos atrativos com roteiros personalizados,
    preço justo e qualidade...

    Guia Nillsa Witt
    45 991083151 whats
    veja avaliações no tripadvisior
    Iguassu Life tour

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigada por deixar o seu comentário por aqui :)

Postagens mais visitadas